Carpinteiros - Brasilia: Encontre os melhores profissionais | homify

0 Carpinteiros em Brasília

Cidade
A sua pesquisa não obteve resultados. Seja o primeiro a carregar fotos nesta categoria.

Carpinteiros em Brasília

 A terceira e definitiva capital do Brasil, Brasília, é uma cidade planejada mundialmente conhecida por seu plano urbanístico, o chamado Plano Piloto, elaborado pelo urbanista e arquiteto Lúcio Costa. Os principais prédios da cidade, inaugurada em 21 de abril de 1960 pelo então presidente Juscelino Kubitschek, foram projetados pelo arquiteto Oscar Niemeyer e pelo engenheiro estrutural Joaquim Cardozo, sendo que o paisagista Roberto Burle Marx foi responsável por diversos jardins modernistas.

Vista de cima, a principal área da cidade, que foi projetada em forma de borboleta, para muitos se assemelha a um avião. O projeto de Brasília localiza prédios residenciais em grandes áreas urbanas chamadas de superquadras, onde os prédios de apartamentos partilham o espaço com um certo número de lojas, escolas e espaços abertos. Este projeto também fez atravessar a cidade por grandes avenidas e a dividiu em blocos numerados e em setores para atividades pré-determinadas, como o Setor Hoteleiro, o Setor Bancário ou o Setor de Embaixadas. O Plano Piloto apresenta ainda, de um lado, conjuntos habitacionais de baixo custo e, de outro, casas de luxo às margens do Lago Paranoá, que a princípio eram destinadas a grandes áreas públicas, mas que foram rapidamente apropriadas por hotéis, clubes privados e residências luxuosas. Por sua vez, nas cercanias da Capital Federal, as muitas cidades-satélites, marcadas pela pobreza e pela desorganização, nasceram e se desenvolveram sem nenhum planejamento. 

A despeito desses contrastes sociais e de falhas urbanísticas como a priorização do transporte rodoviário, Brasília é uma cidade com qualidade de vida relativamente alta, onde as pessoas vivem em áreas arborizadas, com boa infra-estrutura de lazer, esporte, cultura e comércio. Visitado por cerca de um milhão de pessoas por ano, o seu conjunto arquitetônico e urbanístico modernista foi responsável pelo tombamento da cidade como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Cultura e a Ciência (UNESCO), sendo que os seus 112,5 km2 são a maior área tombada do mundo. A Capital Federal, também considerada a maior cidade do mundo construída no século XX, foi tombada ainda pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Formada inicialmente por migrantes de todas as regiões brasileiras, em especial o Nordeste e o Sudeste, a atual população de Brasília (2.974.703 habitantes em 2018) é a terceira maior do País e se divide em quase 54% de brasilienses natos, mais de 46% de nascidos em outros locais e 0,33% de estrangeiros, muitos dos quais funcionários de embaixadas. Curiosamente, as mulheres são a maioria (52%) dos habitantes, cuja média de idade é de 30 anos. A alta expectativa de vida em Brasília – 77,6 anos, a segunda maior do País – talvez seja explicada pela sua riqueza: a cidade tem o maior produto interno bruto (PIB) entre as capitais brasileiras, sendo o quarto maior da América Latina e equivalendo a três vezes a renda média brasileira. Por outro lado, o elevado custo de vida da cidade a colocou em 2011 na 33ª posição da pesquisa da consultoria Mercer sobre as cidades mais caras do mundo, logo abaixo de Nova York.  

A administração pública é a principal atividade econômica da Capital Federal, mas outros setores também se destacam, como os serviços e o comércio. O tombamento da cidade pela UNESCO, por sua vez, impõe um plano de preservação patrimonial e ambiental diferenciado, que busca o desenvolvimento de indústrias não poluentes, como as de softwares, vídeo e cinema, por exemplo. Aliás, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, realizado desde 1965, é um dos mais tradicionais do País.

Mas a construção civil foi e continua sendo um setor econômico fundamental em Brasília, cujos primeiros habitantes – os candangos – foram atraídos pelos empregos na construção da Capital Federal. A cidade é o quarto maior mercado imobiliário nacional, segundo o Anuário do Mercado Imobiliário da Lopes de 2012, quando foram lançados 51 empreendimentos (os mais caros do Brasil) com 8.823 unidades no valor total de 3,3 bilhões de reais. E há quem diga ainda que existe muito espaço para a construção de novos imóveis. Assim, quem for construir ou reformar uma residência em Brasília certamente vai encontrar mão de obra qualificada, seja junto a empreiteiras ou como profissionais autônomos, entre os quais carpinteiros.  

Carpinteiro: o que faz este profissional em Brasília

Em Brasília, as atribuições de um carpinteiro não são diferentes daquelas deste profissional em outras cidades ou regiões do Brasil. O carpinteiro é um profissional técnico que geralmente integra uma equipe contratada por um arquiteto ou engenheiro para realizar a construção ou reforma de um imóvel residencial ou outro tipo de edificação.

A sua principal responsabilidade em uma obra é o trabalho com a madeira maciça ou em estado bruto, transformando-a em peças que serão utilizadas na construção civil ou naval, como por exemplo assoalhos, telhados, escadas, portas, janelas, forros, rodapés, andaimes e esquadrias. Ele pode trabalhar sozinho, no caso de uma casa de madeira, ou com um pedreiro, no caso de uma casa de alvenaria.

Entre as atribuições de um carpinteiro estão o planejamento dos trabalhos de carpintaria, a preparação dos canteiros de obra, a escolha de materiais, a medição e marcação das linhas de corte, a inspeção de todos os elementos de madeira e a leitura de especificações técnicas. Ele pode ainda se especializar em etapas como a de acabamento ou optar pelo trabalho de marcenaria, que se trata da criação, montagem e acabamento de móveis de madeira. Nesse caso, ele trabalha com madeiras nobres permitidas pela legislação ambiental. Já madeiras menos nobres como pinus e eucalipto são usadas na fabricação de outras peças de madeira necessárias na construção. 

Formação profissional do carpinteiro

O carpinteiro geralmente começa com a formação em um curso técnico ou profissionalizante em que aprende a trabalhar com madeiras em estado natural, assim como a montar e desmontar objetos e estruturas variadas. Ele precisa conhecer bem geometria, física e álgebra e ganha pontos se estudar desenho e projeto técnico e/ou inglês.  

Já a experiência prática do carpinteiro geralmente começa com a sua atuação como ajudante de carpintaria, de modo a praticar suas habilidades manuais com profissionais mais experientes. Cabe lembrar que as empresas de construção civil muitas vezes pedem um certificado especial que comprove sua habilidade e segurança no manejo de ferramentas e materiais especiais, os quais estão sempre sendo atualizados. O carpinteiro precisa ainda dominar todos os protocolos referentes à segurança do trabalho.

 

Diferença entre carpinteiro e marceneiro

A qualificação para trabalhar com madeira é comum ao carpinteiro e ao marceneiro. Mas é o estado da madeira trabalhada que vai estabelecer a diferença entre os dois profissionais. O carpinteiro trabalha com a madeira maciça em estado natural destinada para a construção civil ou naval, o que exige dele precisão técnica e conhecimento de técnicas e materiais específicos para madeira maciça.

Já o marceneiro é um profissional mais artístico que transforma madeira nobre e de qualidade nos mais diversos objetos, em especial móveis e itens decorativos. Os móveis planejados para diferentes ambientes da casa, como sala, quarto, cozinha e banheiro, também costumam ser feitos pelo marceneiro, cujo trabalho pode ser ou não artesanal. 

Como contratar e quanto custa um carpinteiro em Brasília

Como ocorre em todo o Brasil, o carpinteiro pode ser contratado diretamente pelo cliente, como profissional autônomo, ou por meio de uma empresa, em geral uma empreiteira que vai formar uma equipe de trabalho para uma determinada obra. Geralmente, quando a obra é pequena, como um único ambiente da casa, a escolha recai em um profissional autônomo, que muitas vezes pode ser recomendado por pessoas que já fizeram uso de seus serviços.

Porém, quando a obra é maior ou mais complexa, envolvendo a construção ou reforma de todo um imóvel, o mais aconselhável é contratar uma empresa que forneça todos os profissionais necessários, incluindo o carpinteiro. O carpinteiro que trabalha como autônomo geralmente cobra por dia ou hora trabalhada, enquanto a empreiteira costuma cobrar por metro quadrado.

Como já dissemos, as recomendações de pessoas que já utilizaram os serviços do profissional autônomo ou de uma determinada empreiteira podem ser a melhor forma de encontrar o carpinteiro certo em Brasília, que conhece as madeiras certas a usar em uma cidade com períodos de muita seca. Mas você pode começar também pelo diretório da homify, que disponibiliza a procura por profissional e cidade.