Arquitetos - Campo Grande: Encontre os melhores profissionais | homify

56 Arquitetos em Campo Grande

Cidade

Você sabe a diferença entre um arquiteto, um engenheiro e um designer de interiores?

Embora muita gente confunda as atribuições desses profissionais, eles têm responsabilidades bem diferentes.

  • Arquiteto: O arquiteto tem uma formação ao mesmo tempo técnica e artística, como por exemplo técnicas de construção e resistência dos materiais na formação técnica e história da arte e história da arquitetura na formação artística e humanística. Esse profissional pode trabalhar em diferentes áreas, sendo que a construção e a reforma de imóveis são atividades que demandam muito o seu trabalho. Nesses casos, a atuação do arquiteto pode começar já na escolha do terreno adequado para construção, passar à elaboração do projeto arquitetônico (que deve atender às necessidades e desejos do cliente e conciliar a dimensão estética com a funcionalidade) e ir até a supervisão e execução das obras. 
  • Engenheiro civil: O engenheiro civil recebe uma formação prioritariamente técnica, como topografia e cálculos estruturais, que permite que ele realize obras como pontes, estradas e barragens. Mas o engenheiro, como o arquiteto, também atua na construção ou reforma de imóveis residenciais e comerciais, elaborando o projeto e supervisionando as diferentes etapas da obra. Ele trabalha geralmente em conjunto com o arquiteto, que traz ao projeto uma visão mais estética e funcional.  
  • Designer de interiores: Já o designer de interiores tem funções totalmente diversas das do arquiteto e do engenheiro. Para começar, ele trabalha apenas nos ambientes internos de um imóvel e lhe é vetado sugerir ou realizar qualquer mudança estrutural no imóvel, atribuição esta que só é facultada aos outros dois profissionais. O designer de interiores atua na composição e decoração internas de um imóvel, fazendo uma releitura do layout e aplicando ao espaço tendências estéticas e inovações técnicas.

Conheça algumas razões para contratar um arquiteto

1. Responsabilidade técnica e legal – O arquiteto é o profissional autorizado técnica e legalmente a realizar o projeto arquitetônico, que é a principal exigência para que uma casa seja construída ou reformada. Ele pode ainda realizar ou coordenar projetos complementares necessários à construção.

2. Soluções sob medida – O arquiteto é o profissional certo para traduzir seus desejos e necessidades em soluções sob medida para cada espaço do imóvel do cliente, tanto no caso de construção quanto no de reforma.

3. Formação especializada – O arquiteto recebe uma formação única e especializada que o qualifica a desenvolver projetos de vários tipos. Essa formação permite que ele alie a técnica com a criatividade, assim como a funcionalidade com a estética, de forma a criar um imóvel adequado às necessidades e ao orçamento do cliente, sem perder de vista a sustentabilidade dele.

4. Investimento seguro e imediato – O investimento na contratação de um arquiteto apresenta um retorno imediato, que se traduz na segurança presente durante toda a obra e na concretização certa de um projeto alinhado aos desejos e necessidades do cliente. Outra vantagem é o fato de que a orientação de um arquiteto forçosamente agrega valor ao imóvel.   

5. Controle de gastos e economia – Uma parte importante do trabalho de um arquiteto é, de um lado, evitar gastos desnecessários e, de outro, apresentar alternativas de qualidade que também tenham um custo vantajoso. Saber conduzir com sabedoria o orçamento do cliente assegura que o imóvel que será obtido ao final seja exatamente aquele que o cliente pretendia e que o arquiteto havia apresentado em seu projeto.

6. Gerenciamento de fornecedores – A ampla formação técnica e artística do arquiteto o autoriza e o prepara a gerenciar todos os fornecedores de uma obra, além de capacitá-lo a prestar ajuda técnica e estética na compra de materiais.

7. Responsabilidade de execução – O arquiteto, além de coordenar todos os projetos, também pode ser o responsável pela execução das obras de construção ou reforma, oferecendo um amplo leque de serviços que vão das providências legais à contratação de mão de obra.

Como contratar um arquiteto em Campo Grande? Quanto isso custa?

Segundo o Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Mato Grosso do Sul (CAU-MS), existem 2400 profissionais no Estado. A maneira mais fácil de encontrar um deles é aqui através da homify. É possível navegar pelo perfil dos profissionais e entrar em contato com aqueles que você mais se identificou. Organizações oficiais como o CAU-MS ou o CAU-BR também são uma alternativa para encontrar arquitetos em Campo Grande.

Quanto aos honorários de um arquiteto, eles podem variar entre 5% e 15% em função das etapas e serviços envolvidos em um projeto.

 Quanto custa construir em Campo Grande?

 O SindusCon-MS (Sindicato Intermunicipal da Indústria de Construção do Estado de Mato Grosso do Sul) disponibiliza em seu site o CUB/m2, um indicador de custos do setor de construção que pode ajudar a fazer uma estimativa de quanto custará a construção do seu imóvel em Campo Grande. O Custo Unitário Básico de construção, por exemplo, para uma residência unifamiliar R1 de padrão normal, em dezembro de 2018, era de R$ 1.341,53 para cada metro quadrado.

Algumas particularidades de Campo Grande a serem consideradas

 Campo Grande, a capital de Mato Grosso do Sul, situada numa região de planalto do cerrado brasileiro, espalha suas ruas e avenidas largas por uma grande área plana e intensamente arborizada. Uma característica do seu crescimento urbano é a horizontalidade, a qual resultou em vazios que os arquitetos gostariam de ver preenchidos. Assim, existe ainda muito potencial para a construção de casas e edifícios no perímetro urbano.

Outra característica interessante de Campo Grande é que há uma forte e contínua interação entre a área urbana e a zona rural, o que favorece a procura por uma arquitetura com elementos rústicos, embora a capital conte com uma significativa classe abastada que se interessa por projetos modernos e até luxuosos.

O trabalho do arquiteto em Campo Grande também precisa se atentar para as condições climáticas que podem impor a busca de soluções específicas que tornem a habitação mais confortável. O clima local apresenta duas estações bem definidas: quente e úmida no verão e menos chuvosa e mais amena no inverno, época em que pode haver a ocorrência de geadas leves. As temperaturas ao longo do ano podem ir de um extremo a outro: elas já foram de quase 0 grau centígrado no inverno a 40 graus centígrados no verão. Propiciar ambientes frescos em uma época e aquecidos em outra pode ser, portanto, um desafio em um projeto arquitetônico na cidade.