253 Arquitetos de interiores em São Paulo

Cidade

Arquitetos de interiores em São Paulo 

Inspiração é o que não falta em São Paulo para os amantes da arquitetura. Entre os diversos estilos e formas dos prédios da cidade, estão representantes de diversos movimentos arquitetônicos, como colonial, art déco, brutalista, neoclássico, além de inúmeros exemplos da arquitetura moderna. Basta andar pela cidade para ter ideias e colocá-las em prática no seu projeto de arquitetura de interiores.

Mas qual é a diferença entre um arquiteto de interiores e um designer de interiores?

O papel dos dois profissionais envolve entender as demandas e encontrar a melhor solução para a interação de pessoas e espaços, atender às necessidades de cada cliente e criar uma solução personalizada. Mas antes de escolher um profissional para realizar o seu projeto em São Paulo, é importante saber o que cada um deles é especializado e pode ou não fazer, de acordo com a formação acadêmica.

O arquiteto, ou arquiteto de interiores, é o profissional que estudou Arquitetura e Urbanismo na faculdade e se especializou em encontrar soluções para ambientes internos e externos, levando em conta requisitos diversos, como por exemplo ergonomia, adequação de luz, acústica e térmica – sejam eles aplicados na arquitetura de casas ou na arquitetura comercial. Este profissional também está apto a cuidar da parte estética dos interiores, ao desenhar mobiliário, escolher cores, materiais de acabamento etc. Caso haja necessidade de fazer cálculos estruturais ou modificações na estrutura do local, como por exemplo no caso da remoção de paredes, ou alterações técnicas na planta, como elétricas e hidráulicas, o arquiteto de interiores também pode realizar, de acordo com a legislação que regulamenta a profissão.

Já o designer de interiores é o profissional que estudou design e pode atuar limitado à estética e a programação visual dos ambientes internos. Assim como o arquiteto de interiores, ele estuda o layout do local e propõe soluções de iluminação, som, escolhe materiais de revestimento, pode desenhar mobiliário e selecionar as cores mais adequadas, mas não pode realizar modificações estruturais – como remover paredes ou reforçar estruturas -, ou técnicas – como por exemplo alterar a parte elétrica ou hidráulica. Nestes casos, a procura de um arquiteto de interiores é indispensável.

Como encontrar o arquiteto de interiores ideal em São Paulo?

São Paulo é uma cidade que oferece grande diversidade em relação a profissionais de arquitetura de interiores. Entre os grandes arquitetos locais estão nomes como Maurício Arruda, Marcio Kogan, Isay Weinfield, Felipe Hess, entre diversos outros. Mesmo que eles não sejam escolhidos para realizar o seu projeto, vale acompanhar as dicas, ideias e projetos destes profissionais nas redes sociais dos seus respectivos escritórios de arquitetura.

Aqui no site da homify, é possível encontrar diversos arquitetos em São Paulo, especializados em diversas áreas da arquitetura de interiores. Basta consultar o nosso diretório de arquitetos e escolher o que mais se enquadra ao seu estilo ao ao estilo do ambiente que você deseja alterar. Outra opção é pesquisar na web, em redes sociais como o Instagram ou Pinterest, ou mesmo pedir indicações de amigos. Fazer uma visita ao diretório de arquitetos e urbanistas no site do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU) opção, já que é oferecida a possibilidade de realizar buscas por município ou estado.

Saiba mais sobre alguns dos serviços realizados por arquitetos de interiores

Entre os diversos serviços que podem ser prestados pelos arquitetos de interiores em São Paulo, você encontra:

Projeto de arquitetura de interiores: neste caso, o layout é desenvolvido com o objetivo de  permitir uma maior funcionalidade do ambiente, levando em conta a harmonia, mas sem deixar de lado a estética, para refletir as necessidades do proprietário, seja ele um projeto de arquitetura comercial ou de arquitetura de casas.

Reforma: neste tipo de projeto, podem ser realizados, por exemplo, a revitalização de fachadas, ampliação ou diminuição de ambientes, além da transformação de diversos espaços para um maior aproveitamento do local.

Projetos estruturais: trata-se da construção ou manutenção de estruturas, para que elas não se deformem, partam ou vibrem demasiadamente. Muito comum também é a realização de reforços de vigas ou pilares, caso seja necessário por exemplo, remover uma parede durante a reforma.

Instalação elétrica: neste projeto, são desenvolvidas e implementadas instalações elétricas, seguindo os padrões de segurança necessários, para garantir o fornecimento de energia ao local com a maior eficiência possível.

Luminotécnica: este tipo de projeto pode ser realizado não apenas pela sua função estética, ao valorizar os elementos arquitetônicos e de paisagismo, mas também por uma questão funcional. Um projeto de luz bem realizado traz conforto e acolhimento ao ambiente, com a disposição e escolha de luminárias, lustres, spots, balizadores, entre outras alternativas.

Lembrando que o valor destes serviços pode depender de acordo com alguns fatores, como a complexidade do projeto, a experiência do profissional escolhido, os tipos de serviço que ele irá prestar – somente o desenho ou acompanhamento também? -, tamanho do local em metros quadrados, tempo necessário para a realização da obra, além do local – capital ou interior?. Também devem ser somados ao custo final do projeto os valores gastos com revestimentos, materiais e mão de obra.

Os cuidados antes de contratar um profissional

Antes de escolher o profissional que irá realizar o seu projeto, fique atento. Caso alguma modificação estrutural seja necessária, certifique-se de o profissional escolhido está apto a fazer esta alteração. No caso, como já foi explicado, somente os profissionais de arquitetura de interiores estão aptos a implementar estas mudanças. Além disso, eles devem possuir registro no conselho de arquitetura e urbanismo (CAU/BR) e precisam registrar o projeto junto a este órgão, por motivos de segurança.

Fique atento à legislação e ao contrato

Existem várias formas de remunerar um arquiteto de interiores pelo seu trabalho. O honorário pode ser calculado, por exemplo, através de um percentual sobre o custo da obra (recomendado pelo CAU/BR). Outra opção é basear o honorário pelo custo do serviço, o que é indicado principalmente no caso de serviços extras que não estavam incluídos no escopo original do projeto.

Outro ponto importante é a elaboração de um contrato de prestação de serviço entre o cliente e o profissional contratado. Neste documento devem estar listados o escopo do projeto, o valor dos serviços e as formas de pagamento, os prazos de entrega ou cronogramas, além das obrigações do contratante e contratado, entre outros detalhes que podem variar de acordo com cada proposta. Assim os dois lados sabem o que esperar durante a realização da obra, e surpresas desagradáveis podem ser evitadas.

Boa sorte e mãos à obra!