50 Arquitetos de interiores em Rio de Janeiro

Cidade

Arquitetos de interiores no Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro é um rico acervo arquitetônico a céu aberto. Mais recentemente, o arquiteto Santiago Calatrava foi responsável por um dos projetos mais ousados da cidade, o Museu do Amanhã, pronto em 2015. Esta construção contemporânea divide espaço com exemplares da arquitetura moderna e de diversas outras correntes da arquitetura e por isso a cidade é uma fonte inesgotável de inspirações. Entre os exemplos modernos estão o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM), desenhado por Affonso Eduardo Reidy em 1948, o parque Eduardo Guinle, projetado por Lucio Costa, e o Pavilhão de São Cristóvão, com design de Sérgio Bernardes. Todos estes exemplos dividem a paisagem com prédios de estilo colonial e intensa influência Portuguesa, como a Praça XV, outro cartão postal da cidade. Esta mistura eclética e interessante pode servir de inspiração na hora de construir a sua casa. Basta observar a cidade e incluir todos os detalhes que você mais gosta no seu projeto de arquitetura de interiores realizado por um profissional qualificado. 

Diferença entre arquitetos de interiores e um designers de interiores

É fácil distinguir o que faz um profissional de arquitetura de interiores e o trabalho de um designer de interiores. Enquanto o arquiteto ou arquiteto de interiores estudou Arquitetura na faculdade, o Designer de interiores estudou Design. O arquiteto de interiores está apto, de acordo com a sua formação acadêmica, a fazer cálculos estruturais e modificações nas estruturas de uma casa ou prédio, além de alterações técnicas na planta, como elétricas e hidráulicas. Assim como o designer de interiores, o arquiteto também pode pode projetar soluções para ambientes internos e externos, além de criar projetos de luminotécnica, acústicos e térmicos, desenhar mobiliário, escolher cores, materiais de acabamento etc. A diferença fundamental entre os dois é que o profissional de design de interiores não está habilitado a realizar modificações estruturais – como remover paredes ou reforçar estruturas -, ou técnicas – como por exemplo alterar ou fazer o projeto da parte elétrica ou hidráulica de uma casa. Se existe a necessidade de realizar alguma modificação deste tipo, procurar um arquiteto de interiores é fundamental pelo ponto de vista legal e de segurança.

Encontre um arquiteto de interiores no Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro você encontra uma grande variedade de profissionais da área com especializações diversas para tocar o seu projeto. Uma das dicas é aproveitar o nosso diversificado diretório de arquitetos para encontrar o que mais está de acordo com o seu estilo e ao estilo do ambiente que você quer construir ou modificar. Nas diversas redes sociais como Pinterest, Instagram e Facebook você também pode encontrar dicas de profissionais e inspirações para ambientes, ou pegar indicações com amigos. Outra base é o diretório de arquitetos e urbanistas do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR). 

O que um arquiteto de interiores pode fazer?

Diversos serviços podem ser prestados pelos arquitetos de interiores. Veja alguns:

- Projeto de arquitetura de interiores: o desenho da planta é realizado para  garantir um ambiente mais harmonioso e refletindo as necessidades estéticas e de usabilidade do proprietário. 

- Reforma: entre as opções neste caso estão a revitalização de fachadas e modificações em ambientes já existentes para um melhor aproveitamento do local.

- Projetos estruturais: neste caso, são construídas ou mantidas os diversos tipos de estruturas. Vigas ou pilares também podem ser reforçados durante uma obra.

- Instalação elétrica: desenvolvimento e implementação de instalações elétricas, seguindo os padrões recomendados de segurança e garantindo um fornecimento de energia mais eficiente. 

- Luminotécnica: a iluminação agrega benefícios estéticos ao ambiente e também traz conforto e acolhimento ao local com a utilização correta e eficaz de luminárias, lustres, spots e balizadores.

Cada um destes projetos apresenta um valor que pode variar com a complexidade da solicitação, entre outros fatores, como o tamanho da construção em metros quadrados, o tipo de terreno, a escolha de revestimentos, materiais e da mão de obra, além da qualidade das estruturas existentes, se for o caso. 

Como remunerar o arquiteto?

O honorário de um arquiteto geralmente é pago em relação ao percentual do custo total da obra. Esta conduta é a mais recomendada pelo CAU/BR. Uma outra alternativa é o arquiteto passar o custo total do serviço prestado por ele de antemão, o que é uma boa opção caso haja mudanças no projeto ao longo da implementação e o profissional precise repassar o valor das mudanças ao cliente. 

Informe-se sobre a legislação do Rio de Janeiro

É obrigatório que o profissional escolhido para realizar o seu projeto seja registrado no conselho de arquitetura e urbanismo (CAU/BR). Além disso, ele deve seguir uma série de regras para garantir que o seu projeto saia de acordo com a legislação local. Outro passo é ficar atento à legislação do Rio de Janeiro e ao plano diretor da cidade antes de planejar a sua obra. Existem regras escritas no Código de Obras do Rio de Janeiro, que precisam ser seguidas. Entre elas, o arquiteto deve observar o tamanho da construção correto, os recuos laterais e de frente, a taxa de ocupação, entre diversos outros. Todos estes aspectos devem ser refletidos no desenho do projeto, que quando pronto deve ser levado à prefeitura da cidade para a obtenção da Licença de Obras, documento oficial que assegura que foram atendidos todos os requisitos do Código de Obras e que a sua obra pode seguir em frente. 

Também indicamos a elaboração de um contrato de prestação de serviço entre o cliente e o arquiteto contratado. O conteúdo do documento inclui valor dos serviços, formas de pagamento, prazos de entrega, cronogramas, além dos direitos e deveres dos dois lados. 

Boa sorte e mãos à obra!