Suite master: Quartos  por Alessandra Contigli Arquitetura e Interiores

Decorador de interiores: o profissional que transforma os sonhos em realidade!

Josi Monteiro – homify Josi Monteiro – homify
Google+
Loading admin actions …

A nossa casa é o lugar onde passamos uma boa parte do tempo. Como tal, deve ser bonita, acolhedora e funcional. Está mais do que provado que é mais difícil descansar em um quarto bagunçado, que somos menos produtivos num escritório caótico ou que uma cozinha mal articulada e fria não convida a que a utiliza. No fundo, o que queremos dizer é que o ambiente dos espaços influencia a nossa forma de estar neles e, neste caso, o nosso bem-estar e qualidade de vida. Afinal de contas, quem não quer regressar, ao fim do dia, a uma casa esteticamente apelativa que seja uma extensão da nossa personalidade e que nos ofereça muito aconchego? Todos queremos.

Para que isto aconteça, faz todo o sentido contratar um profissional. Os decoradores de interiores conseguem ver o potencial dos espaços além do que nós vemos e encontrar, para eles, soluções que dizem respeito à paleta cromática, à iluminação, aos materiais, à escolha dos móveis, e assim por diante. Este trabalho é, claro, desenvolvido com o aval dos clientes que têm voto na matéria, embora devam estar abertos a novas sugestões e até a sair da zona de conforto. Hoje, vamos falar-lhe sobre decoradores de interiores. O que fazem? Que vantagens tem em contratá-los? Em que se distinguem dos designers de interiores? Contamos-lhe tudo e ilustramos o artigo com fotografias de projetos de decoradores brasileiros.

Siga conosco!

​1. O que faz um decorador de interiores?

Os decoradores de interiores modificam os espaços sem os mudar estruturalmente. As mudanças estruturais – como por exemplo a demolição de uma parede – são normalmente feitas por designers de interiores. Porém, há decoradores capazes de fazer estes projetos mais intrincados.

Os decoradores tornam os ambientes esteticamente mais aprazíveis e funcionais para quem os habita. O trabalho deles pode ser desenvolvido para clientes privados ou para espaços comerciais e, pontualmente, pode passar por mudanças no exterior dos edifícios. 

Estes profissionais usam elementos como a iluminação, as cores, os tecidos e outros materiais para criar ambientes que combinem com a personalidade dos clientes. Ao mesmo tempo, têm em consideração o orçamento disponível, o gosto pessoal de quem encomenda o projeto e, como não podia deixar de ser, a função do espaço.

Os decoradores de interiores não precisam de ter formação específica, apesar de existirem muitos cursos nesta área que são uma mais-valia e um enriquecimento para um bom exercício da profissão. Acima de tudo, antes de contratar um decorador, deve consultar o portfólio do mesmo para perceber se se identifica com a abordagem estética que ele faz aos espaços. Se tiver referências em relação a um decorador por parte de amigos e família, tanto melhor. A confiança e a empatia são essenciais.

​2. Qual é a diferença entre um decorador e um designer?

Sabemos que há uma grande confusão em relação a estes conceitos e é normal que isso aconteça porque são áreas que se aproximam em vários aspectos. Ao contrário dos designers de interiores, e como lhe explicamos acima, os decoradores de interiores não precisam de formação universitária porque se debruçam sobre a estética dos espaços e não sobre o planejamento estrutural dos mesmos. Porém, há muitos designers de interiores que se dedicam a trabalhos de decoração e há decoradores com competência para fazer mais do que trabalhar esteticamente as divisões. Se quisermos, no entanto, ser rigorosos a definir estas profissões, diríamos que a intervenção dos decoradores é mais restrita e que eles, à partida, intervêm apenas no que toca à escolha de acessórios, cores, alteração e escolha de móveis, entre outras coisas.

- Ideias para a sua casa, acesse: Remodelar casa: 8 conselhos e guia completo.

​3. Por que contratar um decorador de interiores?

Não raras são as pessoas que têm tato para a decoração, mas um decorador de interiores, com a experiência e sabedoria que possui, consegue ver qualquer coisa nos espaços e olhar as tendências. Um decorador irá ajudá-lo a maximizar os espaços a todos os níveis e tem os recursos para fazê-lo, já que conta com uma lista de contatos importantes (carpinteiros, estofadores, pintores, entre outros). Eles sabem que profissionais fazem trabalhos de qualidade, o que nos poupa, a nós clientes, muito trabalho e dores de cabeça. Os decoradores podem ainda ter acesso a peças únicas – de mobiliário e não só – e até a descontos em algumas lojas onde são clientes. Isto significa que é possível ter acesso a peças exclusivas em vez de uma casa pejada de móveis e acessórios igual a de tantas outras.

Os decoradores têm, como é óbvio, um preço, mas feitas as contas, pode até acabar por poupar dinheiro com eles. Quando fazemos as coisas sozinhos, sobretudo se nada percebem do assunto, podemos incorrer em erros tão comuns como escolher mal os móveis e os materiais, descurar a qualidade ou optar por uma cor que não valoriza a nossa casa. Isto resultará num desperdício de dinheiro e, muito provavelmente, num maior gasto (mais tarde) para reparar os erros. Com a ajuda de um decorador, isto dificilmente acontece.

​4. Como escolher um decorador de interiores?

Antes de mais, comece por identificar o seu próprio estilo para contratar a pessoa certa para o trabalho.

Os decoradores de interiores têm o seu gosto/assinatura pessoal, pelo que é importante analisar os trabalhos já por eles realizados antes de tomar uma decisão. Um bom decorador terá uma página oficial com um portfólio e redes sociais associadas – Facebook, Instagram, Pinterest etc. – o que tornará muito fácil esta consulta. 

Antes de começar o projeto propriamente dito, terá também a oportunidade de se encontrar com o decorador para trocar ideias e se certificar de que estão na mesma página. Confiar e ter empatia com ele é indispensável para que o projeto chegue a bom porto. Certifique-se de que ele entende as suas necessidades e aquilo que idealiza para o espaço, mas não esteja fechado a novas sugestões e ouça o que ele tem para sugerir. Dê-lhe a oportunidade de ser criativo. 

Vale, ainda, realçar a questão do preço que deve ser clarificada logo de início. Há decoradores que cobram uma quantia fixa e outros que cobram à hora. Este ponto pode (e vai) influir a sua decisão. Nos projetos em 3D, é muito fácil perceber exatamente como determinada área vai ficar, o que facilita essa interação entre cliente e decorador. Depois de escolher o decorador, de pagar o que quer que seja e de começar o trabalho, assine um contrato no qual as responsabilidades estejam especificadas, assim como os prazos, os limites orçamentais e outros aspectos que lhe pareçam importantes.

​5. Onde encontrar um decorador de interiores?

Hoje, com a Internet, está tudo à distância de um clique. Aqui na homify, por exemplo, se carregar sobre a categoria Profissionais – na barra preta que está no cimo da página – tem acesso a uma vasta lista de profissionais distribuídos por várias categorias. Na coluna do lado esquerdo, encontrará a coluna que reúne profissionais desta área. Para filtrar a sua pesquisa, basta inserir o seu código postal ou nome da região onde vive.

- Continue a sua leitura, acesse: Projeto de casa container fará você se apaixonar.

E aí?! Está preparado para modificar a decoração da sua casa ou contratar um decorador de interiores? Comente
Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda para projetar a sua casa? Entre em contato!

Solicite sua consulta grátis

Encontre inspiração para sua casa!