Casa combina tradição e funcionalidade

Tony Santos Arquitetura Tony Santos Arquitetura
Loading admin actions …

O telhado é um dos componentes mais importantes da casa. Além de proteger toda a estrutura e o espaço interior, o telhado é o elemento que dá identidade à habitação. Historicamente, Identificamos facilmente a tipologia de um edifício pelo desenho de sua cobertura. Este elemento essencial na tipologia de uma edificação foi praticamente negligenciado pela arquitetura moderna, que em função da industrialização da construção adotava as coberturas planas e os terraços jardins. Mas em países mais tradicionais, o telhado de forma tradicional continua desempenhando seu papel simbólico e de destaque na arquitetura residencial e institucional.

Homify apresenta hoje uma casa fascinante, cujo maior destaque é a sua cobertura de forma tradicional. A Casa “One Roof”, ou um telhado em português, localizada em Pan-gyo, no subúrbio de Seul, na Coréia do Sul, faz uso da tipologia tradicional da cobertura para dar vida a um edifício contemporâneo singular. O projeto é assinado pelo estúdio sul-coreano MLNP Arquitetos. A residência unifamiliar ’One Roof’ é composta de três pavimentos e é a cobertura que dá unidade ao edifício. O interior da residência evidencia porém o estilo contemporâneo da organização espacial e a simplicidade da decoração, que prioriza sobretudo a qualidade dos materiais de acabamentos.

Curioso para desvendar todos os encantos desta residência única e cativante? Então confira a seguir mais detalhes e imagens da casa One Roof, que combina forma tradicional e espacialidade contemporânea, numa composição simbolicamente rica e deslumbrante.

Celebrando a tipologia tradicional

Além da função de cobrir e portanto proteger o espaço, o telhado é o elemento que dá identidade à casa. O projeto fez uso do telhado único da forma tradicional, composto de duas águas de inclinação acentuada, para dar uma identidade marcante ao edifício através da sua escala imponente, resgatando a tipologia tradicional da habitação. A residência é composta de três pavimentos. O volume do primeiro pavimento e o volume da cobertura parecem formar um bloco único, revestido de chapas metálicas escuras, que repousa sobre o volume do pavimento térreo, marcado pelas superfícies brancas e vazios propositais.  

Fachada lateral

Nesta imagem, podemos perceber que a residência não é composta de um bloco único e maciço. Um generoso vazio foi criado no interior do volume, para permitir o melhor aproveitamento da luz e ventilação naturais, conectando os três pavimentos ao céu. Enquanto o pavimento térreo é composto de espaços abertos e amplos painéis de vidro, integrando-se às construções vizinhas, os pavimentos superiores, caracterizados pelo revestimento metálico, são marcados pelo nível maior de privacidade e introspecção, valores típicos da cultura oriental.

Celebrando a vida comunitária

A vizinhança e a vida em comunidade é um aspecto fundamental da vida e portanto uma parte essencial no programa de necessidades da habitação, muitas vezes negligenciado. Neste projeto, além dos espaços de convivência social que se abrem para o espaço externo, integrando-se às construções vizinhas, criou-se também um espaço comum, semi-público, com um banco de madeira para ser compartilhado com os vizinhos. Neste espaço comum se dá o acesso principal à casa.

Interior

Finalmente chegamos ao interior da residência, onde o piso de madeira e as superfícies brancas evidenciam a escolha pela simplicidade e pela qualidade dos materiais de acabamentos.

A casa é dividida em três níveis diferentes. Cada pavimento possui diferentes usos e caráteres distintos. O pavimento térreo, com espaços mais fluídos e integrados, é o lugar da convivência e da vida familiar, chamado portanto de espaço familiar.

Cozinha e sala de jantar

O espaço familiar é composto de um amplo salão principal, que acomoda a sala de estar, a sala de jantar e a cozinha. Este espaço é integrado ao espaço externo através de generosas aberturas de vidro, que possibilitam também o aproveitamento da luz e da ventilação naturais. Os elementos em marcenaria, como os armários de madeira planejados e a bancada em forma de ilha, revestida de madeira, dialogam com o piso e com os moveis de madeira e evidenciam a simplicidade e a funcionalidade dos ambientes. 

Mais informações sobre projetos de cozinhas, você encontra aqui.

Pavimento superior

O segundo pavimento abriga os dormitórios e o espaço de lazer dos filhos. Neste pavimento, além dos dormitórios, criou-se um espaço familiar comum para promover a convivência familiar e um parque de diversões para as crianças em forma de escada, ao fundo. O espaço comum conta com uma mesa de estudos, situada junto à janela, e é inundando pela luz natural que invade o ambiente pelo vazio que conecta os três pavimentos.

Parque de diversões

Os três primeiros degraus da escada, que assemelham-se a patamares devido a sua profundidade avantajada, foram convertidos em nichos para armazenar livros e servem também como parque de diversão para as crianças, que adoram brincar neste espaço escalando os degraus. A escada dá acesso à biblioteca privativa dos filhos.

Simbolismo

O segundo pavimento, ou o sótão, abriga a biblioteca para as crianças, um espaço íntimo para os pais e um jardim aberto para o céu.

Na biblioteca infantil predomina a sensação de privacidade e aconchego. Apesar da simplicidade, a janela de formato triangular, feita de madeira e policarbonato, permite a entrada de luz natural durante o dia e descortina a vista para o exterior à noite, tornando o ambiente mais agradável.

No sótão criou-se também um espaço privativo para os pais, que serve de home-cinema, o hobby preferido do casal de proprietários. O piso de madeira resulta em melhores condições acústicas e o projeto de iluminação, com luminárias da Tom Dixon e luzes de LED que iluminam as arestas do plano da cobertura, dão um toque de sofisticação ao ambiente.

Pensando em instalar um home-cinema em sua casa para curtir seu hobby favorito com mais comodidade? Então você vai precisar destas dicas.

Segundo pavimento

Ainda inacabado à espera das plantas, o jardim aberto para o céu complementa o programa de necessidades desta residência fascinante, que combina tradição e modernidade. Já que o jardim espera pelas plantas e não podemos curtir o verde exuberante preenchendo o espaço, podemos ao menos imaginar a sensação prazerosa dos moradores que poderão desfrutar de um terraço jardim e de vistas privilegiadas para a paisagem circundante. Se você sentiu uma pontinha de inveja, você não é o único.

Você incluiria um espaço comunitário em sua casa, para compartilhar com os vizinhos? 
Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda para projetar a sua casa? Entre em contato!

Encontre inspiração para sua casa!