A Casa Para Se Sentir Em Férias O Ano Todo

SOLICITAR ORÇAMENTO

Número incorreto. Por favor, corrija o código do país (+55 para o Brasil), código da cidade ou número de telefone.
Ao clicar em 'Enviar', confirmo que li os Política de privacidade e aceitei que a minha informação será processada para responder ao meu pedido.
Nota: Poderá anular seu consentimento enviando email privacy@homify.com com efeito futuro

A Casa Para Se Sentir Em Férias O Ano Todo

Patricia Smaniotto – homify Patricia Smaniotto – homify
Casas  por Aguilar Arquitectos
Loading admin actions …

É possível realizar uma composição com poucos elementos? Pode-se otimizar os recursos arquitetônicos e fazer deles a própria expressão da obra? Esta casa é a plena demonstração de uma austera forma de administrar os elementos que constituem uma composição e, sobretudo, toda a linguagem expressa nela. Mais ainda se esta casa tem uma ampla escala de espaços, com a qual há uma importância maior nesta ideia de administrar recursos. 

1. Escala e síntese

A casa tem amplitude de espaços e uma escala geral que, longe de deixar-se ver na linguagem da casa, nos permite com uma simples vista fazer uma rápida leitura do todo e de suas partes através da combinação de muito poucos elementos na composição volumétrica. Um amplo volume branco, atravessado por grandes paredes que segmentam a planta e que conseguem se diferenciar por meio do uso da cor. 

2. Administrando a cor

Assim como encontramos poucos elementos na composição, existe um manejo das texturas e das cores nas paredes e planos para poder identificar alguns pontos singulares da casa. Este uso da cor responde em certa medida à utilização dela para possibilitar a singularidade sobre a qual falamos anteriormente. Fora da superfície branca, aparecem planos horizontais pintados de vermelho. Do outro lado, há um elemento em preto, cuja resolução é dada pela textura do material com que se revestem essas paredes verticais.  

3. O centro da obra

Temos visto variados exemplos de espaços que ocupam lugar destacado na trama da composição da casa. Áreas abertas que funcionam como jardins internos, ambientes como salas de estar ao redor das quais giram os demais ambientes da casa, são apenas alguns deles. Neste caso, o elemento central da casa é a piscina. A centralidade geométrica já se encontra em uma das laterais, mas não por isso perdendo importância com relação aos demais espaços da casa. 

4. Vivenciar o exterior

Algo também muito singular desta casa é o amplo espaço semi-coberto que aparece aberto para o espaço verde do terreno. Além de ter amplas dimensões que favorecem o uso de acordo com a amplitude dos espaços internos, ele dota a casa de uma correta transição entre o espaço aberto natural e o espaço coberto dela. 

5. Híbrido espacial

Poderíamos falar do espaço da piscina como um lugar coberto e fechado, mas é justamente o que não se pretende que seja apenas uma cobertura. O espírito deste espaço não apenas na materialização dele ao se recorrerà uma cobertura de vidro é o de uma atividade nitidamente relacionada com o ar livre e o espírito exterior que, certamente não se perde com a presença da cobertura.  

6. Condicionantes de uso

Em outras oportunidades, vimos a incorporação de piscinas cobertas dentro da casa. Mas este não é um caso típico de espaço fechado para poder aproveitar este tipo de atividades no inverno. É um caso em que ele se incorpora ao eixo central da composição e dá a este espaço central uma função singular que torna necessário repensar como ele se abre e fecha para seus lados, sejam estes abertos ao exterior oum ao interior da casa. 

Gostou deste projeto arquitetônico? Por quê?
Casas  por Casas inHAUS

Precisa de ajuda para projetar a sua casa?
Entre em contato!

Encontre inspiração para sua casa!