Conheça os diferentes tipos de cortina

Patricia Smaniotto – homify Patricia Smaniotto – homify
Google+
Loading admin actions …

Cortinas fazem toda a diferença na decoração de um ambiente, proporcionando leveza com os tecidos mais translúcidos ou, então, bloqueando a claridade para que se possa dormir melhor ou assistir a um filme. Os tipos de cortinas são variados e se adaptam a todos os espaços da casa. 

As cortinas podem ser tradicionais, nos mais variados tecidos, podem ser do tipo persiana, que regula a entrada de claridade, podem ser do tipo romano, rolô ou painel, indicados para diferentes situações que se apresentam. 

Além disso, as cortinas dispõem de diferentes suportes de fixação, assim como diversos meios de acionamento e variados acessórios que ajudam a dar um charme a mais a elas e torná-las mais práticas. 

Apresentamos aqui os tipos principais de cortinas para que você possa ter uma ideia de como decorar cada ambiente da sua casa da maneira correta e com toda a certeza da melhor opção. Aproveite as nossas dicas!

Tradicionais

As cortinas tradicionais também são as mais comuns, indo bem com qualquer ambiente. Feitas de tecidos lisos ou estampados, elas têm principalmente uma função decorativa e ainda a vantagem de ser facilmente laváveis. Mas é preciso lembrar que cada cômodo tem necessidades diferentes: a sala de estar, por exemplo, pede cortinas leves, em voal ou linho, que ajudam a filtrar a luz natural sem obstruí-la, enquanto o quarto precisa de cortinas mais grossas ou escuras, justamente para impedir ao máximo a luminosidade externa para que se possa dormir com tranquilidade. O comprimento das cortinas nesses ambientes deve ser aquele vai até o chão, enquanto as cores mais indicadas são aquelas que acompanham as paredes, como branco, bege e cinza. Já os tecidos com que podem ser feitas as cortinas são os mais variados, desde o levíssimo voal até a encorpada camurça. Tecidos como algodão, seda, chenile, jacquard, veludo, linho e blackout estão entre os mais utilizados. O voal, um tecido fino que pode ser amassado, vazado ou trabalhado, com ou sem sem bordados, normalmente deve ser combinado com linho, seda, shantung ou outro tipo de voal, devido à sua transparência. Já a seda, um tecido nobre e muito macio, deve ser usado dobrado para ficar mais firme. Além de ter boa condutividade térmica (no inverno fica quente e no verão fica frio), esse tecido vai muito bem com as áreas nobres da casa, pois costuma dar um toque sofisticado ao ambiente. Por sua vez, o shantung é uma seda tecida à mão, mais brilhoso, menos transparente e menos encorpado do que o voal, que também é mais adequada a uma área social. Tecido nobre e encorpado, o linho traz elegância e conforto ao ambiente e pode ser combinado com voal, seda e shantung. Já a sarja, um tecido bem encorpado que vai bem com vola ou outro mais fino, cria ambientes informais e descontraídos, especialmente o quarto das crianças. Por fim, o blackout é um tecido de poliéster que veda 100% da luz natural, sendo indicado para quartos e home theaters.

Persianas

Apartamento Bairro Funcionários: Quartos  por Rosangela C Brandão Interiores
Rosangela C Brandão Interiores

Apartamento Bairro Funcionários

Rosangela C Brandão Interiores

Persianas são cortinas formadas por lâminas presas por um cordão, que giram vertical ou horizontalmente. Sendo as mais comuns as de alumínio e de madeira, as persianas são indicadas para dar privacidade e diminuir a luminosidade do ambiente. Quanto maiores as lâminas da persiana, maior a passagem de luz e de ar quando ela está aberta. Mais baratas, as persianas têm liberdade de abertura, como já vimos, e ficam muito bem em ambientes descontraídos ou minimalistas. Um outro tipo de persiana que é praticamente igual à persiana comum é a silhouette, que tem como diferença o uso de tecidos na confecção das lâminas, o que proporciona um acabamento mais elegante e sofisticado. No projeto de Rosangela C. Brandão Interiores, a persiana de alumínio branco valoriza o canto do sofá. A imagem é de Gustavo Romanelli.

Romanas

Também chamadas de persianas romanas, as cortinas romanas são verticais e estruturadas com varetas, que permitem que elas se fechem em camadas. Uma vez que são estruturadas, elas podem ser feitas nos mais variados tecidos. É justamente o material com o qual são feitas que vai determinar a sua função, seja ela a de dar privacidade ou a de escurecer o ambiente. Materiais mais ousados, como a palha, são interessantes para ambientes modernos. Existe ainda a cortina romana de teto, indicada para cobertura de espaços abertos e proporcionando maior conforto térmico e visual, além de proteção contra a incidência solar. 

Rolô

Clean e moderna, a cortina rolô vai bem com os mais variados ambientes. Com tecido blackout, é o modelo mais utilizado para escurecer o espaço. Quando enrolada por meio de um mecanismo especial, ela pode ficar atrás de uma sanca de gesso ou do varão que sustenta uma cortina tradicional, já que muitas vezes é utilizada em conjunto com esta última. 

Painel

A cortina de painel é confeccionada em lona ou sarja, com os painéis se abrindo horizontalmente sobre um trilho. É preciso que haja um espaço ao lado da porta ou janela que a cortina vai cobrir, para que um painel não fique sobre o outro, mantendo um lado sempre fechado. A cortina de painel é excelente para grandes espaços e vãos de passagem, com recolhimento lateral ou bilateral. 

Suportes de fixação

Salas de estar clássicas por Etons of Bath
Etons of Bath

Georgian Country House

Etons of Bath

Os suportes de fixação são basicamente dois: o varão e o trilho. O varão costuma ser mais popular justamente por ser o mais simples. Ele pode ser único, duplo ou triplo, dependendo dos forros e cortinas. Geralmente, é mais indicado a cortinas mais leves, franzidas ou com pregas, mas pode suportar cortinas mais encorpadas com o uso de argolas. Entre os materiais dos varões estão a madeira, o ferro e o aço cromado, que é muito leve. Por sua vez, o trilho suíço também pode ser único, duplo ou triplo, e vai melhor com cortinas de tecidos mais pesados. Também combinam bem com forros que, como o blackout, têm a função de vedar a luz. O trilho precisa ser oculto com a própria cortina ou por forros de gesso e cortineiros de madeira, MDF ou isopor.

Acessórios

Salas de estar clássicas por Peter Silk
Peter Silk

The Pureycust, Townhouses, York city

Peter Silk

As cortinas contam com vários acessórios que as tornam mais bonitas e mais práticas. As abraçadeiras servem para prender a cortina de um ou dos dois lados. Podem ser feitas de strass, cristal, pingente alumínio ou tecido da própria cortina. Entre os cortineiros estão a sanca de poliestireno ou isopor, que é rápida de colocar, de fácil manutenção, bonita e sofisticada; a sanca de MDF, um painel de fibra de madeira de alta resistência; a sanca de madeira, de preferência pintada de branco; a sanca de gesso, ótima para esconder os trilhos da cortina; a sanefa, tira larga de tecido no alto da cortina; eo bandô, faixa decorativa em madeira ou outro material, revestida de tecido ou pintada, que serve para esconder os trilhos acima do varão. Há ainda os xales, tecidos que ficam nos cantos da cortina, presos por abraçadeiras. Para outras dicas sobre cortinas, leia este artigo.

Qual o seu tipo de cortina favorito?
Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda para projetar a sua casa? Entre em contato!

Encontre inspiração para sua casa!